|A Voz do Operário

«A Voz do Operário» homenageada com Ordem da Liberdade

Tal como anunciado na comemoração do seu 136.º aniversário, o trabalho da Sociedade de Instrução e Beneficiência «A Voz do Operário», em Lisboa, foi reconhecido com a atribuição da Ordem da Liberdade. 

Edifício-sede da SIB, na freguesia da Graça, em Lisboa
Edifício-sede da SIB, na freguesia da Graça, em LisboaCréditos / «A Voz do Operário»

Foi esta segunda-feira que o presidente da Sociedade de Instrução e Beneficência (SIB) «A Voz do Operário», Manuel Figueiredo, recebeu das mãos do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a Ordem da Liberdade.

Numa nota enviada à imprensa, a instituição fundada por operários da indústria tabaqueira, a 13 de Fevereiro de 1883, reconhece o «grande orgulho» pelo reconhecimento de todo o seu «património e trabalho de resistência e luta, em prol da liberdade, por um País mais justo e de progresso para todos».

A criação da SIB tem como antecedente a fundação do jornal A Voz do Operário, que comemora 140 anos no próximo mês de Outubro, criado para combater o silenciamento da voz dos operários pela imprensa da época.

A par dos espaços educativos na Graça, Ajuda e Restelo, em Lisboa, e na Baixa da Banheira (Moita), Lavradio (Barreiro) e Laranjeiro (Almada), a instituição alimenta as populações das zonas onde está inserida com uma forte actividade cultural e associativa. Desporto, música e cinema são algumas das áreas de intervenção d'«A Voz do Operário», a que se somam, entre outras, a marcha infantil e as comemorações do 25 de Abril e do 1.º de Maio. 

«A Voz do Operário» destaca ainda o trabalho crescente ao nível da acção social, em contraciclo com as «políticas neoliberais prosseguidas desde a década de 80 do século passado», que deixam muitos utentes sem condições para satisfazer necessidades básicas. 

Tópico