|CP

Trabalhadores dos bares dos comboios da CP em protesto

Os trabalhadores dos comboios Alfa Pendular, Intercidades e Internacional realizaram concentrações de protesto junto do Ministério das Infraestruturas e da Embaixada de Espanha.

Créditos / fesaht

Na concentração promovida esta quarta-feira pela Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (Fesaht/CGTP-IN), os trabalhadores dos bares dos comboios da CP aprovaram uma moção exigindo a garantia dos seus postos de trabalho.

Em comunicado, a Feshat afirma que os 20 trabalhadores dos comboios internacionais e os 120 trabalhadores dos bares dos comboios Alfa Pendular e Intercidades continuam com o seu futuro «incerto». Por outro lado, os trabalhadores que desenvolvem a sua actividade profissional nos comboios internacionais da CP estão «cansados de estar em casa» desde o dia 17 de Março e afirmam, na moção, que «querem ocupar os seus postos de trabalho e desenvolver a sua actividade profissional».

Tendo em conta a redução dos seus rendimentos ao longo dos últimos meses, os trabalhadores da Servirail reivindicam o pagamento dos salários a 100%.

Os trabalhadores exigem a abertura de um novo concurso para a concessão do serviço de refeições e alojamento dos comboios internacionais e a retoma da actividade de todos os comboios.

Recorde-se que a CP fez cessar o contrato de concessão que existia com a Servirail do serviço de restauração e alojamento dos comboios internacionais que fazem os trajectos Lisboa-Madrid e Lisboa-Hendaia (Lusitânia e Sudexpresso), e não fez novo concurso, pondo em causa o futuro dos postos de trabalho. Deste modo, Portugal é o único país da Europa que não tem ligação aos demais países pela via ferroviária.

Tópico