«Total apoio» aos médicos demissionários do Hospital Garcia de Orta

O Sindicato dos Médicos repudia a tentativa de imputar aos médicos a responsabilidade dos doentes cirúrgicos no hospital de Almada e aponta o dedo à gestão hospitalar. O AbrilAbril ouviu porquê.

Hospital Garcia de Orta, Almada.
Hospital Garcia de Orta, Almada. CréditosMário Cruz / Agência LUSA

A Direcção do Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) denuncia e repudia, em comunicado, a tentativa do Conselho de Administração Hospital Garcia de Orta (HGO) de imputar aos médicos de Medicina Interna a responsabilidade dos doentes cirúrgicos, por incapacidade de ser garantida a escala de especialistas de Cirurgia Geral no Serviço de Urgência (SU).
A equipa do Serviço de Medicina Interna daquela unidade hospitalar de Almada foram confrontados, no passada quinta-feira, com a possibilidade «o atendimento de doentes cirúrgicos» apenas vir a ser assegurado «no Serviço de Urgência no dia seguinte».

Os médicos reuniram de imediato com o Director Clínico do HGO «para manifestar o seu desagrado e recusar tal situação». Segundo o comunicado do SMZS, aquele responsável «exprimiu, aparentemente, a intenção de recuar nessa imposição».

O SMZS manifesta o seu total apoio aos médicos demissionários e responsabiliza os sucessivos Ministérios da Saúde e Conselhos de Administração do HGO por se ter chegado a este ponto, em que está seriamente comprometida a capacidade de resposta às urgências cirúrgicas com a qualidade exigida.

A saída de várias especialidades médicas e cirúrgicas do Serviço de Urgência, aponta o comunicado, tem agravado o funcionamento dos serviços, as condições de trabalho e provocado a redução de elementos das equipas, pondo em risco tanto a saúde dos médicos como a qualidade do seu exercício profissional e os cuidados de saúde prestados.

Face a esta situação, o SMZS vai pedir uma audiência, com carácter de urgência, ao Conselho de Administração do Garcia da Orta.