|CTT

Luta leva a reintegração de carteiro despedido

A greve marcada para dia 13 foi suspensa, anunciou o SNTCT, após decisão da empresa de reintegrar um trabalhador que tinha sido despedido ilegalmente em Agosto, na sequência de um acidente de trabalho.

Carteiros de porte não aceitam novos fechos impostos
CréditosInácio Rosa / Agência LUSA

«Considerando que os motivos que levaram à marcação da greve geral para o dia 13 de Janeiro de 2020 foram ultrapassados, vem a direcção nacional do SNTCT informar a Comissão Executiva dos CTT - Correios de Portugal da decisão de suspender a referida greve», informou o Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT/CGTP-IN) 

Recorde-se que a greve tinha sido marcada na sequência do despedimento do funcionário Neto Cunha, de Ermesinde, por alegado incumprimento profissional e, como denunciou o sindicato, pelo facto de a administração se recusar a cumprir a decisão do Juízo de Trabalho de Valongo, que aceitou a providência cautelar interposta pelo sindicato. 

O sindicato explicou ainda que foram os trabalhadores dos correios, «em unidade», que obrigaram à reintegração do funcionário. A mesma nota refere que a greve está suspensa «para já», mas fica a promessa de «voltar à luta» no momento em que os CTT voltem «à carga, seja com Neto Cunha ou com qualquer outro trabalhador».

Tópico