|banco de horas

Hotéis Vila Galé pretendem realizar referendo ao banco de horas

Com vários estabelecimentos ainda parcialmente encerrados ao abrigo do plano de contingência, os Hotéis Vila Galé pretendem realizar um referendo ao banco de horas, sem informarem os trabalhadores.

CréditosNuno Fox / Agência Lusa

O Sindicato de Hotelaria do Sul (CGTP-IN) vem denunciar, em comunicado, a forma «muito pouco transparente» como o processo de um referendo relativo à aplicação de um banco de horas aos trabalhadores está a ser dinamizado pela administração dos Hotéis Vila Galé.

O sindicato tomou conhecimento deste processo através de um comunicado, feito pela empresa, sobre a intenção de realizar um referendo para a aplicação de banco de horas aos trabalhadores do Hotel Vila Galé Cascais, numa altura em que muitos se encontram em redução horária, parcial ou total.

Estranhando ainda o momento em que é proposto o referendo, o sindicato entrou em contacto directo com os trabalhadores nas unidades hoteleiras do distrito de Lisboa, que estão abertas aos clientes, e verificou que só os trabalhadores do Vila Galé Cascais têm conhecimento do referendo.

Uma vez que a aplicação deste regime tem «implicações profundas na vida social, familiar e de trabalho, a organização sindical considera esta falta de transparência «extremamente preocupante».

Tópico