|banco de horas

Trabalhadores impedidos de votar em referendo sobre banco de horas

No Centro de Reabilitação e Integração Torrejano, em Torres Novas, foi retirado o direito de voto e a utilização do voto por representação a um conjunto de trabalhadoras.

CréditosNuno Fox / Agência Lusa

A denúncia foi feita pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços (CESP/CGTP-IN), que organizou uma acção de protesto esta tarde, junto à sede do Centro de Reabilitação e Integração Torrejano (CRIT), em Torres Novas.

A acção teve por objectivo esclarecer e denunciar «as irregularidades e anomalias graves» de retirada de direitos e discriminação de trabalhadores na realização do referendo para implementação do banco de horas grupal nesta instituição.

«Esta situação representa um violento ataque aos direitos e discriminação das mulheres, das mães trabalhadoras e dos trabalhadores em geral que não podemos tolerar, normalizar ou banalizar», pode ler-se em comunicado sindical.

Segundo o CESP, a própria tentativa de implementar um banco de horas grupal demonstra que, para a direcção, «os resultados financeiros» são mais importantes do que o descanso dos trabalhadores ao seu serviço, avisando que a implementação deste regime vai resultar em mais carga de trabalho, horários desregulados, menos tempo de descanso, menos tempo para a família e menos rendimentos.

Tópico