|grande distribuição

Greve marcada nos super e hipermercados para 12 de Setembro

Os trabalhadores das cadeias de grande distribuição não cedem no braço-de-ferro com os patrões. Entre as reivindicações, exigem a revisão do contrato colectivo de trabalho e o aumento dos salários.

Concentração de trabalhadores da Auchan junto à sede
Concentração de trabalhadores da Auchan junto à sedeCréditos / CESP

Os trabalhadores dos hipermercados, supermercados e outros estabelecimentos da grande distribuição vão fazer greve a 12 de Setembro, revela uma nota do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP/CGTP-IN).

Os trabalhadores contestam o impasse em torno das negociações para a revisão do contrato colectivo de trabalho (CCT) no sector, abrangendo mais de 100 mil trabalhadores e que duram há mais de dois anos.

Entre as reivindicações, exigem o aumento geral dos salários, o fim da tabela B, que prevê menos 40 euros de salário em todos os distritos excepto Lisboa, Porto e Setúbal, e a progressão automática dos operadores de armazém até ao nível de especializado.

A estrutura representativa dos patrões é acusada de bloquear as negociações do CTT e de, a troco do aumento dos salários, exigir várias contrapartidas, vistas como «inaceitáveis» pelos trabalhadores: redução do valor pago pelo trabalho suplementar e em dia de feriado para metade, e a aceitação oficial do banco de horas como prática no sector.

A última greve geral dos trabalhadores da grande distribuição realizou-se no passado feriado do 1.º de Maio, por uma resposta ao caderno reivindicativo, como também o fim do trabalho nesse feriado e a implementação de horários e ritmos de trabalho dignos que permitam uma vida própria e o direito à família.

Tópico