|enfermeiros

Governo impede contratações de enfermeiros

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses criticou o Governo por impedir a contratação de novos enfermeiros que não tenham já contrato de trabalho no Serviço Nacional de Saúde.

CréditosFERNANDO VELUDO / LUSA

Em comunicado, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP/CGTP-IN) considera «inacreditável e inadmissível» que o Executivo, através de um decreto-lei aprovado em Conselho de Ministros, apenas permita que as administrações contratem até 31 de Agosto «enfermeiros com contrato a termo incerto desde que tenham já um contrato a termo certo ou incerto».

O resultado, estima o sindicato, é que «o Ministério impede as administrações de contratar novos/mais enfermeiros» numa altura em que aumenta a necessidade de haver mais profissionais para responder às exigências do plano de vacinação contra a Covid-19 e ao aumento de internamentos de pessoas com a doença.

Por causa da necessidade de profissionais nessas funções, aumenta também o número de enfermeiros necessário para recuperar as actividades que foram suspensas por causa da pandemia, nota ainda o SEP.

O SEP assinala igualmente que o decreto governamental «promove o despedimento de centenas de enfermeiros que estão com contrato de substituição de colegas ausentes e cujos contratos não foram feitos» no âmbito da resposta à pandemia.

«O objectivo do Governo não é resolver os problemas actuais e futuros da Saúde, incluindo o acesso dos cidadãos e dos profissionais. A principal preocupação continua a ser a dívida pública», considera o sindicato.

Os enfermeiros lamentam ainda estar há «quase dois anos sem férias por ausência de planificação das necessidades por parte do Ministério da Saúde».


Com agência Lusa

Tópico