|CGTP-IN

Férias forçadas deixam crianças sem apoio em Agosto

Sem estruturas de apoio em Agosto, muitos pais não sabem onde deixar as crianças uma vez que ficaram sem férias durante o período de confinamento e encerramento das empresas.

Muitas mães e pais trabalhadores foram confrontados com férias «forçadas» pelas entidades patronais, antes de Maio, no início do surto epidémico de Covid-19, e agora estão confrontados com a obrigação de trabalhar em Agosto, refere em comunicado a CGTP-IN.

A Intersindical lembra que os poucos campos de férias que existem, em algumas regiões do País, não duram o mês inteiro e são pagos, algo que muitas famílias, em resultado da perda de rendimentos, não pode agora suportar.

Não tendo enquadramento legal específico, estas situações concretas têm de ter uma resposta «excepcional e urgente» nos apoios sociais para que as famílias não fiquem desprovidas de soluções, defende a CGTP-IN.

A central sindical acrescenta que, se o lay-off foi ajustado para as empresas, também os apoios às famílias têm de ser ajustados às suas necessidades.

Tópico