|aumentos salariais

EVA não quer negociar aumentos salariais

A empresa não quer negociar a revisão salarial e rejeita as propostas apresentadas. A pandemia é o argumento invocado, mas todos os anos o ponto de partida é «quase sempre o mesmo», critica sindicato.

Empresa é detida pelo Grupo Barraqueiro e opera no Sul do País
Empresa é detida pelo Grupo Barraqueiro e opera no Sul do PaísCréditos / Região Sul

Em causa está a negociação de aumentos salariais na EVA Transportes/Barraqueiro/Arriva, mas a administração da empresa já informou a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN) que rejeita todas a propostas apresentadas pelos trabalhadores.

«O argumento agora é o da pandemia, porque estão a acumular prejuízos, mas nos anos em que não acumulavam prejuízos, o ponto de partida para qualquer negociação era quase sempre o mesmo», afirma a estrutural sindical em comunicado. Quando houve actualizações salariais, acrescenta, estas foram resultado da luta dos trabalhadores.

Lembrando que, apesar da pandemia, a Constituição «não está suspensa», a Fectrans afirma que serão os trabalhadores a determinar se aceitam esta posição da administração da EVA, ou se vão exigir «aquilo a que têm direito».

«A crise provocada pela pandemia combate-se também com o aumento do poder de compra dos trabalhadores, para que haja dinamização do mercado interno», defende a federação.

Tópico