|direitos sindicais

ETMA tenta impedir actividade sindical

O sindicato do sector denuncia, em comunicado, que a empresa de mármores em Vila Viçosa «tudo tem feito» para condicionar a organização dos trabalhadores.

Créditos / STCCMCS

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Cerâmica e Construção do Sul e Regiões Autónomas (STCCMCS/CGTP-IN), em nota enviada à imprensa, desde a eleição dos delegados e da constituição da comissão sindical na empresa têm existido, por parte da direcção, várias tentativas de dificultar a organização e intervenção sindical.

A ETMA – Empresa de Transformação de Mármores do Alentejo, em Bencatel, Vila Viçosa, «tudo tem feito, sucessiva e reiteradamente, antes de cada plenário de trabalhadores, para obstaculizar a sua realização», acusa o sindicato, acrescentando que esta «convive mal» com a liberdade sindical e a democracia.

Uma das últimas tentativas foi na passada segunda-feira, dia 14, «usando expedientes não previstos em nenhum normativo legal e de clara ingerência na organização sindical» ao questionar quais eram os dirigentes sindicais, qual o seu número de cartão de cidadão e quais os assuntos que iriam ser tratados no plenário de trabalhadores, denuncia-se na nota.

Também dia 17, quinta-feira, à hora de saída, o STCCMCS afirma que aquando do contacto exterior do sindicato com os trabalhadores, a direcção «mandou colocar barreiras físicas junto ao parque de estacionamento, numa clara tentativa de tentar condicionar e impedir o contacto com os trabalhadores».

No entanto, a estrutura sindical sublinha que não se deixa condicionar por estas atitudes que consideram «intoleráveis» e «abusivas», pelo que convocaram um novo plenário de trabalhadores para o dia 24 de Outubro, às 8h, no interior da empresa, para se debaterem «matérias reivindicativas imediatas».

Tópico