|CTT

CTT propõe aumentos de 13 cêntimos por dia

O sindicato denuncia a contraproposta da administração para a revisão salarial da generalidade dos trabalhadores dos Correios, de quatro euros mensais. É «um insulto», critica. 

Os CTT, uma empresa pública rentável para as contas do Estado, foram privatizados em 2013 e 2014 pelo governo do PSD e CDS-PP
Os CTT, uma empresa pública rentável para as contas do Estado, foram privatizados em 2013 e 2014 pelo governo do PSD e CDS-PPCréditosBruno Almeida

«Muita letra e poucos euros», é desta forma que o sindicato caracteriza a contraproposta da administração dos CTT para a revisão salarial. Foram «13 páginas, com muitos gráficos (excepto o dos lucros), com muitas letras e palavras para na 13.ª página dizer que propõe, apenas, quatro euros/mês (0,13€/dia) de aumento salarial, para a generalidade dos trabalhadores», lê-se num comunicado do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT/CGTP-IN). 

Os quatro euros propostos pela administração dos CTT estão muito longe dos 90 que os trabalhadores têm vindo a exigir. Em 2021, a administração da empresa apresentou uma proposta de 0,33% de aumento a partir de 1 de Janeiro 2021, ou seja, 11 cêntimos por dia, valor que justificou com as dificuldades da conjuntura. Entretanto, fechou o primeiro semestre do ano com lucros de 17,2 milhões de euros. 

No passado mês de Novembro, os trabalhadores dos Correios estiveram em greve pela «renacionalização imediata» da empresa, por aumentos salariais «justos e dignos» e pela contratação de pessoal, entre outras reivindicações. 

«A fome de lucro dos accionistas tem levado a gestão dos CTT a reduzir o número de trabalhadores a níveis incomportáveis, não olhando a meios para atingir os seus fins», denunciaram então. 

Tópico