|aumentos salariais

Aumentos na REN não podem ser inferiores aos da EDP

A Fiequimetal reivindica que o salário de entrada na REN passe a ser de mil euros e que a tabela salarial dos quadros se inicie nos 1500 euros.

CréditosANDRE KOSTERS / LUSA

Uma empresa com «o estatuto» da REN e que «afirma publicamente as suas práticas de excelência» pode e deve valorizar os trabalhadores, afirma em comunicado a Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas e Eléctricas (Fiequimetal/CGTP-IN).

Face aos resultados obtidos nos últimos anos, a estrutura sindical propõe que a administração da REN acompanhe, no mínimo, os aumentos salariais que possibilitaram um acordo na EDP.

«Reivindicamos que o salário de entrada na REN passe a ser de mil euros e que a tabela salarial dos quadros se inicie nos 1500 euros», reivindica a Fiequimetal.

Em comunicado pode também ler-se que os aumentos devem acontecer com efeitos a Janeiro e 2020 e de forma a estreitar o leque salarial.

Tópico