|precariedade

Assalto suspeito faz antever encerramento de fábrica têxtil em Mangualde

Os trabalhadores da Mazur, onde trabalham mais de duas centenas de pessoas, na maioria mulheres, acreditam que a administração está a encenar o encerramento da empresa. 

A fábrica Mazur localiza-se em Mangualde
A fábrica Mazur localiza-se em MangualdeCréditos

No dia 13 de Março, os trabalhadores da Mazur ainda só tinham recebido metade do salário de Fevereiro. Para complicar ainda mais o cenário, nesse dia a empresa foi vítima de um assalto. Mas o pedido para que as trabalhadoras terminassem a encomenda que havia sido roubada levantou suspeitas.

Da empresa, foram levados 1517 casacos, que a administração avalia em cerca de 150 mil euros, e duas viaturas de transporte de mercadorias. O PCP, que denunciou este caso, revela que, apesar do roubo, na semana passada as trabalhadoras tiveram de fazer cerca de 1500 golas de pêlo para aplicar nos casacos, tal como constava da encomenda.

No dia 19 de Março, os trabalhadores receberam uma carta a informá-los sobre a suspensão temporária da actividade da empresa, ficando dispensados «de comparecer ao serviço, sem perda de regalias ou direitos, pelo período compreendido entre o dia 20/03 e o dia 31/03, incluídos, sem prejuízo de, nessa data, a situação ser novamente revista conforme a evolução pandémica».

Nesse mesmo dia, porém, além de receberem o restante do salário do mês de Fevereiro, as trabalhadoras foram confrontadas com uma notícia insólita: «as máquinas eram "emprestadas" e iam ser devolvidas de imediato aos seus donos.»

Para o PCP, que através do seu grupo parlamentar na Assembleia da República vai questionar o Ministério do Trabalho sobre esta situação, trata-se de uma «encenação manhosa e criminosa» com o objectivo de «esconder» o encerramento da fábrica e o «despedimento colectivo ilegal».

Com esta manobra, sublinha em comunicado, a administração da Mazur «pretende fugir ao legal pagamento aos trabalhadores das retribuições pecuniárias que lhes são devidas pelo eventual encerramento», exigindo a intervenção imediata da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT).

A Mazur foi fundada em 1986 no concelho de Mangualde, distrito de Viseu. Na sua página online, a empresa têxtil, que está desde 2016 em Processo Especial de Revitalização (PER), afirma ter clientes em Portugal, Espanha, Grécia, Lituânia, Líbia, Marrocos, Inglaterra e Escandinávia.

Tópico