|Altice

Altice propõe aumento salarial de uma carcaça por dia

À 4.ª sessão negocial, da frente de sindicatos com a Altice Portugal, nada de novo. A empresa mantém a mesma proposta de aumento que já tinha apresentado em Outubro, 30 cêntimos por dia.

Representantes dos sindicatos que compõem a Frente Sindical (SINTTAV, STPT; SNTCT, STT; Federação dos Engenheiros e SINQUADROS) e da comissão de trabalhadores da MEO concentraram-se em frente à sede da Altice Portugal, em Lisboa, a 25 de Junho de 2021, unidos contra o despedimento colectivo de cerca de 300 trabalhadores anunciado pela administração do grupo
Representantes dos sindicatos que compõem a Frente Sindical (SINTTAV, STPT; SNTCT, STT; Federação dos Engenheiros e SINQUADROS) e da comissão de trabalhadores da MEO concentraram-se em frente à sede da Altice Portugal, em Lisboa, a 25 de Junho de 2021, unidos contra o despedimento colectivo de cerca de 300 trabalhadores anunciado pela administração do grupoCréditosRodrigo Antunes / Agência Lusa

A proposta, em termos globais, representa um encargo de cerca de 800 mil euros por ano para a Altice. Já em termos médios, para cada um dos 6200 trabalhadores incluídos no Acordo Colectivo de Trabalho, «estamos a falar de mais 30 cêntimos para cada um, pouco mais que o preço de um papo-seco», refere o comunicado enviado pela frente sindical ao AbrilAbril. A Frente Sindical é constituída pelo SINTTAV, SNTCT, STT, SINQUADROS, Federação dos Engenheiros e a Comissão de Trabalhadores da MEO. 

É esta a proposta da qual a empresa (com lucros na ordem dos 2,12 milhões de euros em 2020 e que em 2021 espera em crescimento na ordem dos 8%) não está disposta a abrir mão, mesmo não havendo aumentos generalizados desde 1 de Julho de 2018, (já há mais de três anos). Certo é que a frente sindical já anunciou que não vai alterar a sua proposta, não enquanto a «provocação e o simulacro de negociação» continuar por parte da Altice.

Como forma de pressão, e cultivando a máxima do dividir para reinar, a Altice já informou as organizações representativas dos trabalhadores de que a próxima sessão negocial não seria marcada, «desrespeitando o protocolo de negociações aceite por ambas partes: reunir semanalmente, à segunda-feira de manhã». Não parecem restar dúvidas que o objectivo é abrir o flanco para as «famigeradas conversas informais que alguns tanto apoiam e anseiam».

Face a este impasse, os sindicatos já garantiram a sua participação na jornada de Luta convocada pela CGTP-IN para o próximo dia 20 de Novembro em Lisboa, «em defesa do Emprego, da valorização dos Salários e contra a Precariedade», reivindicando «melhores salários e mais direitos para os trabalhadores da Altice Portugal». Serão também marcados plenários nos locais de trabalho para informar e discutir com os trabalhadores os passos que se seguirão.

A «intransigência e a cegueira da gestão e dos accionistas/donos da empresa», só vem reforçar a organização dos trabalhadores na empresa, que já demonstraram estar prontos para «o combate que estes gestores merecem». «Como a história nos ensina, a situação laboral na Altice Portugal só se altera com a luta dos trabalhadores».

Tópico