|Altice

Grupo Altice

Plenário de trabalhadores seguido de vigília frente ao Edifício PT/Meo

É já na próxima segunda-feira, dia 22 de Janeiro. Em frente ao Edifício PT/Meo, em Picoas, Lisboa.

Edifício PT/Meo em Picoas, Lisboa. A Altice comprou a PT Telecom em 2015.
Edifício PT/Meo em Picoas, Lisboa. A Altice comprou a PT Telecom em 2015.Créditos / CC BY-SA 3.0

Na próxima segunda-feira, dia 22 de Janeiro, os trabalhadores da PT/Meo (Grupo Altice) reunir-se-ão em plenário às 14h e, a partir das 17h, iniciarão uma vigília frente ao Edifício PT/MEO, em Picoas (Lisboa), contra os despedimentos de trabalhadores e a existência de trabalhadores sem funções atribuídas.

A convocatória é feita pela frente sindical, que abrange uma significativa representação de organizações sindicais (SINTTAV, STPT, SINDTELCO, SNTCT, SINQUADROS, STT e SITESE) e conta com o apoio da Comissão de Trabalhadores da PT.

Segundo o comunicado assinado por aquelas entidades «foram convidadas a fazer-se representar a CGTP-IN e a UGT» e, à hora a que o mesmo foi distribuído, estava já «confirmada a presença de Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP-IN».

Relembramos que, em Dezembro passado, os representantes dos trabalhadores da PT/Meo entregaram uma «petição contra o despedimento colectivo a prazo na PT» e que, na passada sexta-feira, na sequência desta luta, foi estabelecido um acordo entre o PS, o BE e o PCP que conduzirá a uma alteração ao Código de Trabalho, a qual garantirá aos trabalhadores o direito de oposição à transferência de empresa em caso de transmissão de estabelecimento – uma intenção já anunciada pelo Grupo Altice, proprietário da empresa, desde o Verão passado, quando transferiu 155 funcionários recorrendo a essa figura jurídica.

Tópico