|Saúde

Laboratório Militar disponível para aumentar produção de medicamentos

O Laboratório Militar diz-se capaz de «aumentar a sua produção no âmbito do fornecimento público». Já chegou ao Parlamento proposta de passagem da instituição a Laboratório Nacional do Medicamento.

O Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos dispõe de condições para «aumentar a sua produção no âmbito do fornecimento público», noticia o Jornal de Notícias na sua edição de hoje. A produção de medicamentos pela instituição permite garantir o fornecimento de fármacos ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), libertando-o da dependência das farmacêuticas.

Actualmente, o Laboratório Militar já produz um conjunto de medicamentos, nomeadamente a metadona (um narcótico utilizado no tratamento de toxicodependentes) e outros fármacos usados em doenças raras.

A transformação da instituição militar no Laboratório Nacional do Medicamento, de forma a alargar o abastecimento do SNS, com redução de custos e ganho de soberania, foi proposta pelo PCP. Segundo fonte do Laboratório Militar, este é caracterizado pela «flexibilidade», pelo que «é possível aumentar a capacidade de produção nesta área».

Disponível para produção de medicamentos com canábis

A produção de medicamentos à base de cannabis pelo Laboratório Militar, tal como aprovado recentemente pela Assembleia da República, é outra das possibilidades encarada pela instituição com a mesma «flexibilidade», que, afirma ao JN, «ajustar-se-á ao que for determinado».

O recurso ao Laboratório Militar foi introduzida na lei também por iniciativa do PCP, que afastou ainda a prática de auto-cultivo, bastante criticada pelos especialistas ouvidos pelos deputados, ao contrário do que pretendiam o BE e o PAN.

Tópico