|investimento público

Degradação da Linha do Norte leva viagem Lisboa-Porto à duração de 1999

A ligação ferroviária entre Lisboa e Porto vai ser feita mais devagar a partir de Julho, dada a degradação da linha, particularmente no troço entre Ovar e Gaia. Obras só arrancam após o Verão.

CréditosProtectportugal / CC BY-SA 3.0

O estado de degradação da linha ferroviária do Norte tinha sido apontado por um relatório da Infraestruturas de Portugal de 2016, noticiado pelo Público em Março. Agora, o diário relata que a velocidade máxima no troço de 32 quilómetros entre Ovar e Vila Nova de Gaia vai passar para 110 ou 120 km/h, ao contrário dos 140 km/h actuais.

O trajecto entre Lisboa e Porto, a partir de Julho, deve passar a fazer-se com um atraso de sete a dez minutos face aos horários em vigor, tanto no serviço Alfa Pendular como nos comboios Intercidades.

O Público dá ainda conta que as obras de manutenção, que foram classificadas como «urgentes» no relatório da Infraestruturas de Portugal, vão arrancar após o Verão. Ou seja, a partir daí e até à conclusão da intervenção, os atrasos vão ser ainda superiores.

Quase 20 anos depois da entrada em serviço do Alfa Pendular, o tempo de viagem entre a capital e a Invicta deve voltar para valores próximos dos que se registavam então: três horas e quinze minutos. O projecto de modernização da Linha do Norte, que permitiria que o percurso fosse cumprido em 2h30, está parado há mais de uma década e a intervenção agora prevista vai apenas repor a situação anterior.

Recorde-se que, de acordo com o Programa de Estabilidade apresentado pelo Governo no mês passado, Portugal vai dispender 35 mil milhões de euros em juros da dívida pública até 2022. Ao mesmo tempo, o investimento público tem sido mantido em níveis historicamente baixos nos últimos anos, uma situação que tem ganho visibilidade com a degradação de infra-estruturas e da capacidade de resposta dos serviços públicos.

Tópico