|Caixa Geral de Depósitos

Comissões da Caixa voltam a aumentar

Diversos serviços do banco público sofrerão subidas de preços a partir de 2020, penalizando os clientes. Este é um mecanismo a que a banca recorre cada vez mais para aumentar os seus lucros.

O plano de recapitalização da CGD prevê o encerramento de 61 balcões até 28 de Abril
.CréditosAntónio Cotrim / Agência Lusa

O preçário com os novos aumentos foi disponibilizado esta terça-feira no portal da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e visa um conjunto de comissões bancárias que voltam a ser aumentadas quando não chegaram a passar cinco meses desde os últimos aumentos.

Tais medidas inserem-se num contexto em que o sector bancário visa desincentivar os clientes a dirigirem-se aos balcões com o objectivo de reduzir custos, designadamente salariais, ao mesmo tempo que incrementa as suas receitas.

Só nos primeiros meses de 2019, o banco dirigido por Paulo Macedo obteve lucros de 282,5 milhões de euros, valor entretanto corrigido em alta para mais de 400 milhões depois da venda do banco em Espanha.

Entre os serviços e produtos sujeitos a estas subidas estão as contas «pacote», as mais baratas do banco, a conta de serviços mínimos bancários, determinadas transferências via MB Way (passam a ser cobradas a quem utilize a aplicação), levantamentos ao balcão, actualização de cadernetas, requisição de cheques e até o próprio pagamento das prestações do crédito à habitação.

No que respeita às transferências MB Way, passam a cinco, com a CGD, os bancos que cobram por este serviço, que em determinadas circunstâncias terá o custo de 88,4 cêntimos por operação.

Os aumentos das «contas pacote» afectam as contas «S» e as de serviços mínimos bancários. No caso destas últimas, a CGD passará a cobrar 4,20 euros anuais aos clientes com essas contas cujos rendimentos sejam superiores ao salário mínimo nacional.

Os levantamentos de dinheiro ao balcão aumentam de 2,86 euros para 3,12 euros e a actualização de cadernetas ao balcão passa de 1,04 euros para  2,08 euros.

Já a entrega imediata de três cheques passará a custar 5,2 euros, em vez dos actuais 3,74 euros, e as requisições de cheques encarecem em quase dois euros.

Acresce ainda que o preço para pagar mensalmente o crédito à habitação aumentará mais de vinte cêntimos mensais, o que se traduz num aumento de perto de 35 euros anuais.

Tópico