|solidariedade

Cinco cidades portuguesas juntam-se aos protestos contra Bolsonaro

Onda de indignação anti-Bolsonaro percorre hoje todos os estados do Brasil. Lisboa, Porto, Braga, Coimbra e Aveiro saem à rua em solidariedade com o povo brasileiro.

A insegurança alimentar atinge mais de 166 milhões de brasileiros 
O presidente do Brasil é cada vez mais contestado e responsabilizado pela grave situação pandémica no País CréditosLeo Malafaia / Brasil de Fato

Foram centenas de milhar as pessoas que no passado dia 29 de Maio saíram em passeatas por todo o Brasil e encheram as principais ruas de todas as capitais de estado do país.

Agora, as organizações sindicais e os movimentos sociais envolvidos nesta nova convocatória prometem trazer ainda mais pessoas para as iniciativas que se realizam hoje em mais de 300 cidades no Brasil e outras pelo mundo fora, integradas na mobilização internacional para o acto.

O comunicado divulgado pelo Coletivo Andorinha – Frente Democrática Brasileira em Lisboa e pela Casa do Brasil de Lisboa, responsáveis pela organização do protesto na capital lisboeta, denuncia «o avanço da fome e da miséria, os ataques aos povos indígenas, à população pobre, aos integrantes da comunidade LGBTQIA+ e aos militantes sociais».

A «gestão desastrosa e criminosa da pandemia no país, chegando ao número absurdo de quase 500 mil mortos», é outro dos motivos que une todos os «brasileiros, portugueses e pessoas de diversas nacionalidades» que participam hoje nos protestos.

As medidas neo-liberais do governo bolsonalista vieram ainda acelerar o processo de destruição «do meio ambiente, alavancada pelos interesses obscuros na venda descontrolada de património nacional».

A convocatória para Lisboa está marcada para as 15h30, no topo do parque Eduardo VII.

Tópico