|Pessoas com deficiência (10358)

APD excluída do Programa Nacional Desporto para Todos

A Associação Portuguesa de Deficientes (APD) denuncia o facto de ter sido excluída do projecto de candidatura apresentado, «sem qualquer critério de avaliação da qualidade e pertinência».

Acção de protesto da Associação Portuguesa de Deficientes contra a falta de mobilidade nos transportes metropolitanos, com Ricardo Barata, deficiente motor a frequentar o Ensino Superior. Cidade Universitária, Lisboa, 13 de Março de 2018
Acção de protesto da Associação Portuguesa de Deficientes (foto de arquivo)CréditosMiguel A. Lopes / LUSA

Trata-se do projecto «Ativa-te! Pratica Desporto», no âmbito do Programa Nacional Desporto para Todos, rejeitado pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) com a justificação do «número elevado de candidaturas recebidas e tendo em consideração a dotação orçamental disponível».

A Associação Portuguesa de Deficientes  acusa o IPDJ de «decisão discriminatória pelo não cumprimento dos princípios da justiça e da imparcialidade», considerando que o IPDJ «não apresenta qualquer critério de selecção das candidaturas ao Programa Nacional Desporto para Todos, dentro das condições de constrangimento impostas pela insuficiente dotação orçamental, que justifiquem a exclusão da APD». Nesse sentido, a APD solicita a publicação da lista de entidades que se candidataram ao Programa Nacional Desporto para Todos, com a identificação das «que foram aceites e as que foram recusadas».

No comunicado, a APD puxa dos galões e sublinha, por um lado, o facto de ter três equipas de andebol (Figueira da Foz, Leiria e Porto) e cinco equipas de basquetebol em cadeira de rodas (Braga, Leiria, Lisboa, Paredes e Sintra), «que fornecem a esmagadora maioria dos atletas que integram as seleções nacionais nessas modalidades desportivas». Por outro, o contributo decisivo dado para as vitórias que têm prestigiado Portugal em competições internacionais, no âmbito do basquetebol e do andebol em cadeira de rodas, nomeadamente em Novembro passado, quando Portugal se sagrou campeão europeu e mundial de andebol com equipas constituídas em 80% por atletas da APD.

Tópico