|Litoral Alentejano

Utentes da extensão de saúde de Canal Caveira sem médico há três meses

Canal Caveira, uma pequena localidade de menos de 400 habitantes no concelho de Grândola, chegou a contar com a visita de um médico uma vez por semana, mas enfermeiro é coisa que nunca houve.

Canal Caveira, na freguesia e concelho de Grândola, é atravessada pelo IC1, Itinerário Complementar do Litoral. Esta centralidade levou ao desenvolvimento de uma grande indústria de restauração na localidade. 
Canal Caveira, na freguesia e concelho de Grândola, é atravessada pelo IC1, Itinerário Complementar do Litoral. Esta centralidade levou ao desenvolvimento de uma grande indústria de restauração na localidade. CréditosTiago Petinga / Agência Lusa

Os utentes não podem mesmo abdicar da «colocação de uma equipa na respectiva Unidade de Saúde, com médico, enfermeiro e administrativo» a trabalhar no local com a periodicidade de uma vez por semana. Foi esta a conclusão a que chegaram os mais de 50 utentes da Extensão de Saúde de Canal Caveira, em Grândola, reunidos na passada quarta-feira, e cujo comunicado foi enviado ao AbrilAbril.

A sessão de esclarecimento foi dinamizada pela Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do Concelho de Grândola que, para além da participação de várias dezenas de utentes da Extensão de Saúde de Canal Caveira, contou com a participação de autarcas do concelho e o Presidente do Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS).

Por unanimidade, foi aprovada uma proposta de realização de um abaixo-assinado, onde se exigirá a colocação de uma equipa de saúde com uma periodicidade regular, algo inédito desde a reabertura do espaço em 2016. O documento será entregue ao «Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano, ao Conselho Directivo da Administração Regional de Saúde e ao futuro Governo, bem como ao futuro Ministro da Saúde».

O Hospital do Litoral Alentejano não é alternativa

O estado em que se encontra, actualmente, o Hospital do Litoral Alentejano (HLA) não deixa indiferente nenhum dos utentes de Canal Caveira. Já é para todos evidente que a falta de profissionais e auxiliares de saúde não afecta apenas as pequenas localidades do concelho. É «intolerável que só exista um médico cardiologista para 100 mil utentes, bem como um médico urologista para toda a Região no HLA».

Os utentes, pura e simplesmente, não podem aceitar «que a Urgência Pediátrica deste hospital seja assegurada por médicos não-especialistas», ou que no «serviço de Urgência Geral do HLA os médicos sejam contratados por empresas de trabalho temporário».

É que sem o acompanhamento regular de um médico, ou até de um enfermeiro, os 400 habitantes de Canal Caveira são forçados a entrar nas longas filas de espera do HLA (mais de 300 dias para uma consulta), sobrecarregando ainda mais um hospital sem recursos humanos para atender, eficazmente, aos 100 mil utentes que a ele estão afectos.

Tópico