|Saúde

Presidente da Câmara do Seixal diz que situação no Garcia de Orta é «inadmissível»

Joaquim Santos considera «inadmissível» que o Governo continue a ignorar o problema da falta de médicos no Hospital Garcia de Orta, em Almada, que afecta mais de 450 mil utentes.

Créditos / Notícias ao Minuto

O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, exige uma resposta urgente para a falta de profissionais, que tem levado ao funcionamento intermitente da urgência pediátrica do Garcia de Orta, salientando que os mais de 450 mil cidadãos que utilizam esta unidade de saúde «merecem respeito e acesso a condições de saúde com qualidade».

«Para além de ser urgente o reforço de profissionais no Serviço Nacional de Saúde é também fundamental que se reforce o investimento em novos equipamentos, nomeadamente através da construção do novo hospital no Seixal, não devendo o Governo persistir no erro de encarar o Serviço Nacional de Saúde e a saúde dos portugueses como uma despesa, mas sim como um investimento fundamental na qualidade de vida das populações», refere o edil em comunicado.

A autarquia aproveita para recordar a aprovação de uma resolução na Assembleia da República, em Dezembro de 2015, referente à construção do Hospital do Seixal, no sentido da sua urgente construção pela importância que assume na rede de cuidados públicos de saúde. Porém, denuncia, «passados quatro anos e uma legislatura, ainda nem o projecto do hospital foi seleccionado».

O Hospital do Seixal representa um investimento total de 60 milhões de euros e vai permitir descongestionar o Hospital Garcia de Orta, que foi projectado para servir 150 mil utentes e serve actualmente 450 mil residentes nos concelhos do Seixal, Almada e Sesimbra.

Tópico