|Lisboa

Pontinha reivindica acesso a cuidados de saúde

Os utentes da Pontinha, no concelho de Odivelas, reivindicam a construção de um centro de saúde e afirmam que a promessa de mais médicos, feita há um ano pela tutela, não se concretizou.

Créditos / Pixabay

Em Fevereiro do ano passado, os utentes da freguesia da Pontinha realizaram uma manifestação para exigir a construção de um centro de saúde, mais médicos e também mais enfermeiros. 

Pressionada pela luta dos utentes, a Administração Regional de Saúde de Lisboa assegurou que, até Junho de 2017, a Unidade de Saúde Familiar (USF) da Pontinha seria reforçada com mais dois médicos, «resolvendo-se assim o problema dos utentes sem médico de família».

Um ano volvido, os utentes denunciam que a promessa ficou por cumprir e insistem na necessidade de se construir um centro de saúde naquela freguesia. A USF Novo Mirante, criada em 2015 para os utentes da Pontinha, abrange cerca de 11 000 utentes e deixa de fora mais de 4000 que, para terem acesso aos cuidados de saúde, têm que se deslocar à extensão da Urmeira. 

Numa nota enviada às redacções, o PCP ressalva que esta unidade, localizada no Centro de Saúde de Carnide, «não tem condições para atender tantos utentes pois os médicos existentes são já insuficientes para os 8000 utentes daquela extensão».

Por outro lado, denuncia a existência de agregados familiares em que os seus diversos elementos têm médicos diferentes, e informa que vai exigir ao Governo medidas urgentes para ultrapassar a situação. 

Tópico