|Santiago do Cacém

Santiago do Cacém: utentes exigem novo centro de saúde

O avançado estado de degradação do Centro de Saúde de Santiago do Cacém ameaçava a segurança dos utentes e dos profissionais de saúde. No dia 7 chegou a ordem de encerramento até que os problemas estejam resolvidos. A população exige novo equipamento.

O edifício onde funciona o centro de saúde não teve a devida manutenção ao longo dos anos
O edifício onde funciona o centro de saúde não teve a devida manutenção ao longo dos anosCréditos / CM Santiago do Cacém

Na comunicação afixada na porta do estabelecimento, assinada pelo coordenador da Área de Saúde Ambiental do concelho, assume-se que a «falta de condições de trabalho» coloca «em risco a segurança dos doentes e dos profissionais».

A falta de água devido ao rebentamento da canalização e a realização de obras de reparação desencadearam a «suspensão das actividades clínicas e o encerramento das instalações até à resolução dos problemas que deram origem a esta medida».

Há muito que a ausência de condições preocupava a população. Além das fissuras ao longo do edifício, a degradação do pavimento e da pintura das paredes, a ausência de sistema de som, as janelas e persianas calafetadas com panos e toalhas, e uma parte do tecto que caiu no decorrer de uma consulta com uma criança, são alguns exemplos do estado de degradação a que chegou o estabelecimento.  

A funcionar há mais de 30 anos, este centro de saúde foi sucessivamente descurado, resultado do desinvestimento de vários governos. A população entende que a realização de obras de remodelação não chega para assegurar a integridade dos utentes e dos profissionais, e exige novas instalações. 

No passado dia 8 de Março, o PCP fez uma pergunta ao Governo sobre o Centro de Saúde de Santiago do Cacém, questionando se conhecia o estado de degradação do edifício, que medidas estava a tomar para assegurar novas instalações e se estão a ser adoptadas medidas de reforço de médicos, enfermeiros e assistentes operacionais.

Tópico