|Seixal

Pais questionam Governo sobre fim das obras na Secundária João de Barros

Há dez anos que os alunos da João de Barros, no Seixal, têm aulas em contentores. Num email enviado ao ministro da Educação, a Associação de Pais quer saber quando terminam as obras de requalificação.

Créditos / SIC Notícias

Desde Abril de 2019 que as obras de requalificação da Escola Secundária João de Barros, em Corroios, estão mais uma vez paradas.

«O empreiteiro suspendeu a obra e levantou todo o seu material do estaleiro. Foi entretanto lançado novo concurso, que ficou vazio, sem empresas interessadas, supostamente porque o valor do concurso era muito inferior aos valores de mercado», denuncia a Associação de Pais da Secundária João de Barros na comunicação enviada ao ministro Tiago Brandão Rodrigues.

No email, a que o AbrilAbril teve acesso, a associação observa que o novo concurso que terá de ser lançado «aguarda uma portaria de extensão conjunta» dos ministérios da Educação e das Finanças. E, «não tendo [...] conhecimento» de desenvolvimentos, questiona o ministro da Educação sobre quando será assinada e publicada a portaria de extensão, para quando se prevê o lançamento de novo concurso e a conclusão das obras de requalificação.

Entretanto, sublinham os pais na missiva, «como o senhor ministro pôde constatar pessoalmente, os nossos educandos continuaram a ter aulas em contentores, em condições próprias de países do terceiro mundo, a deslocarem-se para o exterior da escola para aulas de Educação Física, com os riscos inerentes e sujeitos às intempéries».

A estes alertas acresce o facto de «todos» os edifícios e telheiros originais estarem «cobertos por placas de fibrocimento com amianto, que já deveriam ter sido retiradas há muitos anos».

«O certo é que, ao fim de dez anos, apenas foi executada uma pequena parte do projecto, não se concluindo nem a primeira das três fases previstas. O espaço da escola está reduzido a um terço, para as cerca de 1500 pessoas que ali estão diariamente», critica a Associação de Pais.

Antes deste email, a última acção de luta da comunidade escolar ocorreu em 7 de Dezembro. Da mesma forma, também a Câmara Municipal do Seixal tem vindo a fazer pressão para que a tutela conclua a empreitada. 

Tópico