|eleições autárquicas

Leiria precisa de um sistema integrado com Linha do Oeste como eixo central

Os candidatos da CDU ao distrito de Leiria reivindicam o lançamento da obra relativa ao troço entre Torres Vedras e Caldas da Rainha e a modernização do lanço entre as Caldas e o Louriçal.

 O plano de modernização da Linha do Oeste foi anunciado em 2016
Créditos / Gazeta das Caldas

Num manifesto divulgado esta quinta-feira, os candidatos da coligação PCP-PEV às câmaras e assembleias municipais do distrito de Leiria lembram que, fruto da luta das populações, foi possível inverter a situação na Linha do Oeste. Para tal contribuiu a aprovação de um plano de modernização e electrificação, cuja concretização está em marcha, «ainda que com atrasos que precisam de ser urgentemente recuperados e indefinições que precisam de ser clarificadas», defendem. 

Apesar das «erradas opções de desvalorização» do transporte ferroviário no nosso país, levadas a cabo pelo sucessivos governos, a Linha do Oeste é há muito considerada um eixo fundamental para o desenvolvimento económico e social dos concelhos do distrito de Leiria. Seja pelas potencialidades que apresenta para o transporte eficaz de passageiros e mercadorias, ou pela ligação entre os mesmos, e entre estes e as regiões de Lisboa e de Coimbra. 

A renovação completa da Linha do Oeste e a definição de um sistema de transporte público que supra as «inúmeras carências» nesta área em muitos municípios é uma exigência dos candidatos.

No imediato, alertam para a necessidade de lançar a obra relativa ao troço entre Torres Vedras e Caldas da Rainha e a aprovação e lançamento do concurso para a modernização do lanço entre Caldas da Rainha e Louriçal.

Advertem, no entanto, que, para que a Linha do Oeste assuma a importância estratégica que tem no plano da Rede Ferroviária Nacional e no âmbito do desenvolvimento de um verdadeiro sistema de transportes públicos na região, «impõe-se a definição no traçado da sua natureza simultânea de linha suburbana, regional e inter-regional».

Para que tal aconteça, registam, «é preciso que se defina a ligação à Linha do Norte, para além da já existente a partir de Verride, e a retoma da ligação a Lisboa, designadamente à zona oriental».

Tópico