|Venezuela

Venezuelanos mobilizam-se contra o roubo de bens nacionais no estrangeiro

Trabalhadores e membros de organizações sociais manifestaram-se pelas principais ruas de Caracas em protesto contra a retenção ilegal de activos venezuelanos em várias partes do mundo.

Milhares de pessoas participaram na grande marcha pelo resgate dos bens nacionais, em Caracas, a 9 de Agosto de 2022 
Milhares de pessoas participaram na grande marcha pelo resgate dos bens nacionais, em Caracas, a 9 de Agosto de 2022 Créditos / @PartidoPSUV

A mobilização desta terça-feira, em defesa da soberania e contra a apreensão de bens nacionais no estrangeiro, enquadra-se numa nova campanha com vista à recuperação dos activos retidos ilegalmente.

Sindicatos, movimentos sociais e organizações da sociedade civil partiram da Praça Morelos em direcção à Assembleia Nacional, na capital venezuelana, para exigir a devolução ao país das 31 toneladas de ouro retidas no Banco de Inglaterra, da empresa Citgo, filial da empresa estatal Petróleos de Venezuela S.A. (PDVSA) nos Estados Unidos, e do avião retido na Argentina.

Retenção do avião da Emtrasur viola acordos internacionais

O avião de transporte de mercadorias da Empresa de Transporte Aerocargo del Sur (Emtrasur), filial da linha aérea venezuelana Conviasa, sancionada por Washington, foi apreendido em Junho último depois de aterrar no Aeroporto de Ezeiza (Buenos Aires), proveniente do México, com uma tripulação de 14 venezuelanos e cinco iranianos.

No passado dia 2 de Agosto, os EUA pediram à Argentina que apreendesse a aeronave, na sequência de uma decisão judicial de um tribunal do Distrito de Colúmbia de acordo com a qual terão sido violadas as leis de exportação norte-americanas.

Então, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, questionou o poder judicial da Argentina, que reteve o avião venezuelano.

Ontem, o ministro venezuelano do Transporte Terrestre, Ramón Velásquez Araguayán, sublinhou que a retenção da aeronave na Argentina, bem como dos seus 19 tripulantes, viola a Convenção sobre Aviação Civil Internacional, os acordos entre estados, os sistemas operacionais de segurança e o direito à defesa dos tripulantes, que foram acusados de «terroristas e espiões», informa a VTV.

Destacando que a Emtrasur cumpre todos os regulamentos legais, disse ainda que se trata do avião que permite levar para a Venezuela material para mitigar os efeitos do bloqueio económico imposto ao povo venezuelano.

Jorge Rodríguez recordou as agressões ao povo venezuelano e a sua resistência

«Aqui há um mar de gente que continua a crescer face às adversidades, às sanções e os bloqueios», disse o presidente da Assembleia Nacional (AN), Jorge Rodríguez, durante a «grande marcha pelo resgate dos bens nacionais», em Caracas.

«O que se passou com o nosso avião foi um vulgar sequestro. Vamos continuar a dizê-lo», frisou Jorge Rodríguez / @PartidoPSUV

Rodríguez afirmou ter conversado com Nicolás Maduro, que agradeceu ao povo venezuelano pela sua coragem e lealdade, no final da mobilização pela devolução do avião retido na Argentina e dos activos apreendidos na Europa e nos Estados Unidos.

«O que se passou com o nosso avião foi um vulgar sequestro. Vamos continuar a dizê-lo», frisou Jorge Rodríguez, que recordou como o povo venezuelano tem sofrido as consequências das sanções e do bloqueio.

Também esta terça-feira, revela a VTV, foi aprovada por unanimidade, na AN, uma resolução em que se expressa o repúdio perante a intenção ilegal da administração norte-americana de se apropriar do avião da Conviasa sequestrado actualmente na Argentina, e se exige ao presidente do país austral, Alberto Fernández, que «não seja cúmplice do terrorismo internacional imperialista norte-americano».

Tópico