|Síria

Segunda agressão israelita contra território sírio numa semana

Pelo menos três civis morreram em cidades dos subúrbios de Damasco, na sequência do ataque, revelou a agência SANA, acrescentando que a maioria dos mísseis foi derrubada pelas defesas anti-aéreas.

Defesa anti-aérea síria responde ao ataque israelita em Damasco
Defesa anti-aérea síria responde a um ataque israelita sobre Damasco em Fevereiro deste ano Créditos / Twitter

Caças israelitas, sobrevoando o espaço aéreo libanês, lançaram um ataque, esta madrugada, contra zonas periféricas a sul da capital da Síria. A maior parte dos mísseis foi interceptada pelas baterias da defesa anti-aérea do Exército Árabe Sírio, informou a agência estatal SANA.

Pelo menos três civis foram mortos e outros quatro ficaram feridos depois de mísseis terem atingido as cidades de al-Hujaira e Al-Adliya, nas imediações de Damasco, revelou a mesma fonte, precisando que a agressão israelita foi perpetrada por volta das 5h da manhã.

Uma fonte militar disse à Al-Masdar News que o ataque visou também o bairro de Sayyeda Zaynab, cerca de seis quilómetros a sul de Damasco, onde se localiza a mesquita homónima e que é um importante local de peregrinação xiita, nomeadamente no actual período do Ramadão.

Há uma semana, as defesas anti-aéreas sírias enfrentaram uma agressão israelita sobre a região de Palmira, na região desértica da província de Homs, também lançada a partir do espaço aéreo libanês. No dia 31 de Março, ocorreu um ataque semelhante, na mesma província, depois de a aviação israelita ter novamente violado o espaço aéreo libanês – um facto comum nas agressões de Telavive e que o governo do Líbano denunciou junto das Nações Unidas.

As forças militares sionistas não costumam comentar estas acções frequentes sobre território sírio; quando o fazem, o pretexto é quase sempre eliminar alvos iranianos ou do Hezbollah.

O governo de Damasco denuncia que, com estes ataques, as forças israelitas deixam em evidência o seu apoio aos grupos terroristas no país árabe, cuja moral procuram erguer, à medida que vão sofrendo derrotas cada vez maiores no terreno.

Mais reforços para as bases ilegais dos EUA na Síria

Violando as leis internacionais, os EUA continuam a reforçar a presença de tropas e de material logístico no Nordeste da Síria e na região de al-Jazirah (a leste do rio Eufrates), onde mantêm diversas instalações militares ilegais e saqueiam o petróleo, o gás e outras riquezas naturais da Síria.

«Uma caravana com 30 viaturas militares carregadas com material bélico e logístico entrou na Síria a partir do Iraque e dirigiu-se para a cidade de Qamishli, na província de Hasaka», informa esta segunda-feira a SANA, com base naquilo a que chama fontes locais.

Segundo a agência, os camiões dirigiram-se para a base ilegal que Washington tem em Tell Baydar, nas imediações de Qamishli.

As autoridades sírias têm denunciado reiteradamente a presença das tropas dos EUA e de todas as forças de ocupação em território sírio, sublinhando o carácter ilegal dessa presença e condenando o «roubo» dos recursos naturais do país.

Tópico