|Síria

Exército sírio descobre mais armamento dos terroristas em Daraa

As armas e munições foram encontradas num dos depósitos abandonados pelos terroristas no Sul do país. No Nordeste, forças de ocupação dos EUA e milícias aliadas prosseguem o saque e a desestabilização.

Equipas de sapadores do Exército sírio encontraram inúmero material bélico em Douma, algum fabricado em países-membros da NATO
Imagem do inúmero material bélico, algum fabricado em países-membros da NATO, encontrado por equipas de sapadores do Exército sírio em zonas conquistadas ao terrorismo Créditos / RT

Imagens divulgadas pela televisão estatal mostraram o armamento apreendido, em que se incluíam dezenas de espingardas automáticas, lança-granadas RPG, metralhadoras e espingardas de franco-atiradores.

Também mísseis Malyutka e outros de fabrico norte-americano, equipamento para visão nocturna e para telecomunicações, além de munições de diverso tipo, noticiou a Prensa Latina esta segunda-feira.

A população local teve um papel crucial na descoberta destas armas, ao fornecer informações que conduziram à sua localização, revelou um oficial do Exército, acrescentando que as operações de limpeza do terreno nas zonas rurais da província de Daraa vão continuar.

Daraa foi declarada livre do terrorismo no Verão de 2018, na sequência da chamada Ofensiva do Sudoeste, levada a cabo pelo Exército Árabe Sírio (EAS) e forças aliadas.

À medida que avançava e, depois, ia limpando o terreno, o EAS deparava-se frequentemente, nos depósitos abandonados pelos terroristas, com material bélico israelita e norte-americano, entre outro de proveniência árabe, do Golfo e ocidental.

Actualmente, nas regiões do Sudoeste mais próximas dos territórios ocupados por Israel, verificam-se ataques repetidos contra militares sírios e dirigentes locais, que Damasco atribui a células terroristas adormecidas ao serviço dos seus patrocinadores – Israel e EUA.

FDS desalojam dezenas de habitantes em Hasaka

As chamadas Forças Democráticas Sírias (FDS), milícias maioritariamente curdas aliadas dos Estados Unidos, expulsaram de suas casas dezenas de pessoas cujas habitações se localizam nas proximidades de um heliporto das forças de ocupação norte-americanas, nos bairros de Ghwairan e al-Zuhur, na cidade de Hasaka.

Apesar dos protestos dos proprietários e da documentação mostrada, os invasores entraram em vários blocos de edifícios, armados, para garantir que nas imediações da instalação militar norte-americana a área fica vazia. De acordo com a agência SANA, este domingo, outros moradores nas proximidades receberam ordens de expulsão, também com a justificação de que as suas casas se situam muito perto do heliporto.

Entretanto, a mesma fonte informou, este sábado, que as forças de ocupação dos EUA voltaram a «abastecer-se» de trigo nos silos da aldeia de Tal Alou, no Nordeste da província de Hasaka, depois de ali terem feito o mesmo há duas semanas e na quinta-feira passada. Desta vez, refere a SANA, 38 camiões carregados com toneladas de trigo seguiram para o Iraque pela passagem fronteiriça ilegal de al-Walid.

O governo de Damasco tem denunciado repetidamente a presença militar norte-americana em território sírio como «ilegal» e como «ocupação», sublinhando que as forças ali destacadas promovem, em conluio com as forças mercenárias, o saque dos recursos do país.

Tópico