|Cuba

Novas ideias para reforçar a solidariedade com Cuba em França e na Costa Rica

Tal como o movimento costa-riquenho de solidariedade com a Ilha, o Comité de Toulouse da associação France Cuba debateu acções de solidariedade e para fazer frente ao bloqueio dos EUA.

Solidariedade com Cuba na Costa Rica (imagem de arquivo) 
Créditos / radiohc.cu

No Sul de França, em Toulouse, membros da France Cuba realizaram este fim-de-semana uma assembleia geral, no decorrer da qual foi apresentado um resumo das actividades levadas a cabo pelo comité local ao longo do ano passado e se fizeram projecções para o ano corrente, que passam pelo envio de material e a participação em campanhas, revela o portal cubainformacion.tv.

Os delegados participantes reafirmaram a condenação do bloqueio económico, comercial e financeiro imposto por Washington há mais de seis décadas, bem como o aumento da «agressividade» contra o país caribenho, que enfrenta carências e obstáculos severos ao seu desenvolvimento, como consequência dessa política.

Fabrice Leclerc, presidente nacional da France Cuba, interveio para sublinhar que a associação irá continuar empenhada no acompanhamento da Ilha, nas suas lutas e resistência, tal como o faz há mais de 60 anos.

Imagens da assembleia do Comité de Toulouse da associação France Cuba, este fim-de-semana / cubainformacion.tv

Numa assembleia em que foi também abordada a realização, na capital francesa, do XIX Encontro Continental de Solidariedade com Cuba (previsto para Novembro próximo), Ernesto González, em representação da Embaixada de Cuba em França, apresentou detalhes da realidade que se vive na Ilha e do impacto da política hostil norte-americana.

O diplomata, acrescenta a fonte, agradeceu a solidariedade francesa, e destacou a importância que ela assume para um povo que resiste e sabe que não está sozinho.

Muitas ideias para reforçar a solidariedade com Cuba na Costa Rica

Os dirigentes do Movimento Costa-Riquenho de Solidariedade com o Povo Cubano informaram que, entre os seus objectivos prioritários, está aproximar os jovens da vida e obra do independentista cubano Antonio Maceo y Grajales (1845-1896) e da sua passagem pelo país centro-americano.

Recorde-se que, no final do século XIX, o militar cubano, general do Exército de Libertação contra a coroa espanhola, esteve em La Mansión, na província nortenha de Guanacaste, juntamente com outros generais revoltosos e um grupo de 100 famílias cubanas. Ali, organizou a segunda Guerra da Independência, também conhecida como Guerra Necessária (1895), para acabar com o colonialismo espanhol em Cuba.

Outros dos aspectos emanados da reunião de trabalho da organização costa-riquenha é o de estudar mais o pensamento do intelectual e independentista cubano José Martí (1853-1895), que também esteve na Costa Rica, tendo como objectivo divulgar os avanços e a luta do povo cubano contra o imperialismo norte-americano.

As dez organizações que integram o movimento costa-riquenho, refere a Prensa Latina, pretendem igualmente apoiar as campanhas do Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP) e da Rede Continental de Solidariedade com Cuba, bem como acções para denunciar o bloqueio económico e comercial imposto por Washington à Ilha.

Anunciaram ainda que vão denunciar a ocupação norte-americana de Guantánamo, bem como prosseguir a luta pela exclusão de Cuba da lista de países patrocinadores do terrorismo, que Washington cria de forma unilateral.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui