|Palestina

Israel prendeu cerca de mil menores palestinianos em 2021

Cerca de mil jovens e crianças, 73 deles menores de 14 anos, foram presos este ano pelas forças israelitas, revelou o Centro de Estudos dos Prisioneiros Palestinianos.

Um jovem palestiniano é preso na Cisjordânia, na sequência dos protestos contra a decisão norte-americana sobre Jerusalém
Um jovem palestiniano é preso na Cisjordânia, na sequência dos protestos contra a decisão norte-americana sobre JerusalémCréditos / palestinalibre.org

Sob instrucções directas dos seus superiores, as forças de ocupação visam sistematicamente os menores, para os dissuadir de resistir à ocupação, negando-lhes assim o seu direito à educação, informa o relatório apresentado na semana passada.

O texto, assinado pelo director do Centro de Estudos dos Prisioneiros Palestinianos, Riyad al-Ashqar, regista a escalada no número de detenções de menores palestinianos por parte das forças israelitas e destaca que todos os menores foram submetidos a diversas formas de tortura e maus-tratos a partir do momento da detenção, informam as agências Safa e Prensa Latina.

O texto denuncia igualmente que as tropas de Telavive prenderam diversos menores depois de os atingir a tiro, por vezes de forma grave, tendo interrogado alguns deles no hospital – procurando obter «confissões» em troca do acesso a medicamentos.

Actualmente, revela o texto, 230 menores continuam atrás das grades. Três encontram-se presos ao abrigo do regime de detenção administrativa – sem acusações nem processo penal –, 102 foram condenados a várias penas de prisão e os restantes aguardam por julgamento.

O relatório denuncia que os menores palestinianos estão encarcerados em condições bastante severas nos centros penitenciários israelitas, onde são insultados, ameaçados e torturados, em violação das convenções internacionais de direitos humanos.

As autoridades israelitas – acusa o documento – aproveitaram a pandemia de Covid-19 como instrumento para reprimir e aterrorizar as crianças palestinianas nas cadeias, não lhes proporcionando medidas de protecção contra o vírus ou mantendo-as na «solitária» com o pretexto da quarentena.

As forças de ocupação prenderam no primeiro semestre deste ano mais de 5400 palestinianos, incluindo 854 menores e 107 mulheres, segundo um relatório divulgado em Julho pela Comissão dos Assuntos dos Presos e ex-Presos Palestinianos, a Sociedade dos Presos Palestinianos, a Addameer e o Centro de Informação Wadi Hilweh.

Tópico