|Colômbia

Indepaz documenta 66 massacres na Colômbia em 2021

No sábado, foi perpetrado o 66.º massacre no país andino este ano, informou o Indepaz, que dá conta de 1225 dirigentes sociais assassinados desde a assinatura do acordo de paz, em Novembro de 2016.

Os dirigentes sociais continuam a ser ameaçados e assassinados na Colômbia
O Indepaz continua a documentar uma violência sem tréguas na Colômbia CréditosGustau Nacarino / theobjective.com

O mais recente massacre registado pelo Instituto de Estudos para o Desenvolvimento e a Paz (Indepaz) foi denunciado ontem, tendo ocorrido na véspera do município de Santander de Quilichao, departamento colombiano do Cauca.

De acordo com o Indepaz, as vítimas são três membros da mesma família que se encontravam numa festa na zona rural do município, na reserva indígena de Canoas.

Homens armados chegaram ao local e começaram a disparar sobre quem ali estava, provocando a morte imediata a duas pessoas e deixando outras duas feridas em estado grave – uma das quais viria a falecer, refere o organismo com base em informações recolhidas.

A Provedoria de Justiça emitiu um alerta de perigo, tendo em conta a presença constante de grupos armados no referido município do Cauca.

Em 2020, o organismo documentou a ocorrência de 91 de massacres, dos quais resultaram 381 vítimas mortais, em 66 municípios do país. Este ano, registou 66, com um saldo de 240 vítimas mortais. A grande maioria dos casos teve lugar nos departamentos do Cauca (12 massacres e 40 vítimas), Antioquia (10/36), Valle del Cauca (8/35), Nariño (6/24) e Caquetá (6/20).

O Indepaz utiliza o termo na acepção estabelecida pelas Nações Unidas: existe um massacre «quando três ou mais pessoas são assassinadas no mesmo local e momento e pelo mesmo presumível perpetrador».

109 dirigentes sociais e 34 ex-guerilheiros

No seu portal e na conta de Twitter, o Indepaz dá ainda conta de 109 dirigentes sociais e defensores assassinados no país sul-americano em menos de oito meses, este ano. O mais recente foi Eliécer Sánchez Cáceres, vice-presidente da Junta de Acção Comunal da vereda de La Punta, na zona rural do município de Cúcuta (departamento de Norte de Santander).

Sánchez Cáceres, que já tinha denunciado ameaças de morte, foi morto, no sábado, por um grupo de homens armados na vereda referida. Desde a assinatura do acordo de Paz entre as FARC-EP e o governo colombiano, em Novembro de 2016, 1225 dirigentes foram mortos, segundo os dados do Indepaz.

Só este ano, refere ainda o organismo de defesa dos direitos humanos, foram também mortos 34 ex-combatentes das FARC-EP que firmaram o acordo de paz.

Tópico