|Irlanda

Forças progressistas denunciam xenofobia e ataques aos imigrantes na Irlanda

No contexto da crise do custo de vida e da habitação, grupos da extrema-direita «incendeiam» o ambiente com uma «crise de imigração». Grupos progressistas mobilizaram-se em Dublin em defesa dos refugiados.

Protesto contra a xenofobia e os ataques a imigrantes em Dublin 
Protesto contra a xenofobia e os ataques a imigrantes em Dublin Créditos / Dublin Communities Against Racism

Em resposta à convocatória da plataforma Dublin Communities Against Racism (Comunidades de Dublin contra o Racismo), dezenas de pessoas juntaram-se, no sábado passado, frente à Leinster House, sede do Parlamento irlandês, denunciando o número crescente de ataques da extrema-direita contra imigrantes e refugiados no país.

Também responsabilizaram as políticas da coligação governamental (conservadores/democratas-cristãos, liberais, verdes e independentes), na medida em que defendem os interesses dos mais abastados e têm conduzido à deterioração das condições de vida dos trabalhadores.

Como noutros pontos da Europa, refere o Peoples Dispatch, a Irlanda tem assistido ao aumento do custo de vida, bem como a uma severa crise habitacional, que está a empurrar cada vez mais pessoas para a situação de rua.

Entretanto, as forças de extrema-direita têm aproveitado este contexto de crise e de políticas de austeridade para atacar imigrantes e refugiados, culpando-os pelos males da República da Irlanda.

Alertando para isto, as forças progressistas e de esquerda denunciam igualmente o tratamento desigual dado aos refugiados no país, acusando o governo de «racismo» e «desumanidade» para com as pessoas provenientes da Ásia e do Norte de África, em favorecimento dos refugiados que chegam da Ucrânia.

Os refugiados são bem-vindos na Irlanda

Em comunicado, a plataforma afirma a sua preocupação com o crescente posicionamento anti-refugiados no país e critica as políticas do governo actual e de executivos anteriores, que geraram «conflito e divisão nas nossas comunidades, expondo-as à venenosa influência de agitadores da extrema-direita, que não têm nada para dar aos trabalhadores que não seja miséria».

Dublin Communities Against Racism

Na declaração, as Comunidades de Dublin contra o Racismo pedem às pessoas que «rejeitem a propaganda da extrema-direita de que não há crise imobiliária na Irlanda, nem crise da saúde, nem crise de custo de vida, mas tão-só uma crise de imigração». Para a plataforma, «esta mentira serve apenas para lavar as falhas do sistema e foi traçada para isso».

«De forma semelhante, notámos o ataque ao Sinn Féin e a partidos de esquerda, enquanto pouco se diz sobre Fianna Fáil e Fine Gael, que governaram o Estado desde que foi criado. Mais uma vez, no papel tradicional dos fascistas, isto é para ajudar a manter o status quo e não há dúvidas de que a extrema-direita está a ser financiada para fazer isto», denunciam.

«Gostávamos de lembrar a todos que a extrema-direita é não apenas anti-imigrante, mas também anti-mulheres e anti-LGBT, e se opõe ferozmente às organizações dos trabalhadores, como sindicatos, enquanto apoia o sistema sócio-económico em que os ricos ficam mais ricos e as necessidades do povo continuam insatisfeitas», acrescentam.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui