Christine Lagarde condenada

A actual directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) foi considerada culpada por negligência num caso de desvio de dinheiros públicos que ocorreu quando era ministra das Finanças do governo francês.

Já tinham vindo várias acusações a público afirmando que Nicolas Sarkozy havia pressionado a ministra das Finanças para beneficiar o empresário
Já tinham vindo várias acusações a público afirmando que Nicolas Sarkozy havia pressionado a ministra das Finanças para beneficiar o empresárioCréditosChristophe Petit Tesson/EPA / Agência LUSA

O processo em questão procurava apurar a forma como o empresário Bernard Tapie foi indemnizado pelo Estado francês, em 2007, por alegados prejuízos que decorreram da venda da empresa de artigos desportivos Adidas ao banco Crédit Lyonnais. Tapie é um antigo ministro de François Miterrand e amigo do então presidente Nicolas Sarkozy.

O empresário era o principal accionista da Adidas e, depois de se tornar ministro do Urbanismo no governo de François Mitterrand, viu-se obrigado a vender a parte que detinha da empresa. Em 1993, avançou na justiça contra o Crédit Lyonnais, alegando que tinha sido defraudado pelo banco por este ter subavaliado a Adidas.

Christine Lagarde, então ministra das Finanças, fez na altura a opção de recorrer a um tribunal arbitral, em vez de deixar que o processo seguisse nos tribunais comuns. Os juízes ditaram que o Estado francês tinha de pagar 403 milhões de euros a Bernard Tapie. Esta decisão foi anulada no início de 2015, com a justiça civil a considerar que foi uma fraude e determinando a devolução desta quantia ao Estado francês.

Já tinham vindo várias acusações a público afirmando que Nicolas Sarkozy havia pressionado a ministra das Finanças para beneficiar o empresário. Em 2011, o Ministério Público francês acusou Lagarde de escolher uma mediação privada para o caso em vez de recorrer à via judicial, o que teria dado maior neutralidade ao processo.

O advogado de Lagarde já afirmou que irá iniciar o processo de pedido de recurso da decisão judicial e o conselho do FMI vai reunir para analisar as consequências deste desenvolvimento judicial que afecta a sua principal dirigente.