|Argentina

Argentina assinala 44 anos da «Noite dos Lápis»

O povo argentino recorda um dos mais macabros episódios da ditadura militar de Videla, onde alunos do Secundário foram sequestrados e assassinados por reclamarem direitos, como o passe estudante.

Créditos / La Opinión Digital

No dia 16 de Setembro de 1976, dez jovens do Ensino Secundário de La Plata, entre os 16 e os 18 anos de idade, que lutaram pela reposição do desconto do passe estudante, foram levados por grupos especiais do exército e da polícia da província de Buenos Aires para serem interrogados em centros de detenção clandestinos.

Ao longo de dez dias foram vítimas de tortura. Quatro deles sobreviveram, os restantes foram considerados desaparecidos, somando-se às mais de 30 mil pessoas, vítimas da ditadura militar, cujo paradeiro nunca foi conhecido.

Os detalhes da «Noite dos Lápis» foram mais tarde conhecidos pela voz dos sobreviventes. Espancamentos e choques eléctricos na boca, gengivas e órgãos genitais foram alguns dos métodos utilizados pelos carcereiros da ditadura de Jorge Rafael Videla, que vigorou entre 1976 e 1983. 

Em 1987, a história dos dez jovens foi contada num filme, que contou com a colaboração de uma das vítimas. Em Setembro de 2011, quase duas dezenas de oficiais foram acusados de crimes contra a humanidade por terem participado na «Noite dos Lápis».

Tópico