|cinema

Três co-produções portuguesas na competição de curtas de Locarno

Três curtas-metragens, com co-produção portuguesa, foram seleccionadas para a competição do Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, que este ano sofre alterações por causa da Covid-19.

Nha Mila, de Denise Fernandes
Nha Mila, de Denise FernandesCréditos / O som e a fúria

De acordo com a programação de curtas-metragens anunciada, a competição internacional apresenta 31 filmes a concurso, entre os quais An act of affection, do vietnamita Viet Vu, feito no âmbito do programa europeu de formação DocNomads, no qual está envolvida a Universidade Lusófona.

Na competição de produções suíças estão também duas co-produções portuguesas: Espíritos e rochas: Um mito açoriano, de Aylin Gokmen, rodado nos Açores, e Nha Mila, filme da realizadora portuguesa Denise Fernandes, co-produzido pela O Som e a Fúria.

Este ano, o festival não acontecerá nos moldes habituais, por causa do surto epidémico de Covid-19, tendo a organização transformado esta edição num formato digital e com o título «For the Future of Films» (Pelo futuro dos filmes).

A selecção de curtas-metragens em competição será mostrada online entre 5 e 15 de Agosto, mas está prevista exibição em sala em Locarno e Muralto.

Nesta edição especial de Locarno acontecerá também o programa «The Films After Tomorrow» (Os Filmes Depois de Amanhã), que pretende apoiar «realizadores que foram forçados a parar de trabalhar por causa da pandemia».

Neste programa há quatros projectos cinematográficos com produção portuguesa: Selvajaria, de Miguel Gomes; Eureka, de Lisandro Alonso; When the waves are gone, de Lav Diaz; e Far West, de Pierre-François Sauter.


Com agência Lusa

Tópico