|cinema

Filme de Miguel Gomes e três co-produções portuguesas seleccionados para Locarno

Quatro projectos cinematográficos com produção portuguesa, entre os quais Selvajaria, novo filme de Miguel Gomes, são candidatos a um programa do Festival de Cinema de Locarno, na Suíça.

 

Miguel Gomes, no Festival de Curtas de Vila do Conde, 2015.
Miguel Gomes, no Festival de Curtas de Vila do Conde, 2015. CréditosESTELA SILVA / LUSA

O programa – intitulado «The Films After Tomorrow» (Os Filmes Depois de Amanhã) – pretende apoiar «realizadores que foram forçados a parar de trabalhar por causa da pandemia», com um júri a atribuir prémios aos melhores projectos, num valor entre os 46 e os 65 mil euros.

Entre os dez projectos cinematográficos internacionais seleccionados para o programa, e que estão ainda em fase de produção ou finalização, contam-se um filme português com co-produção internacional e três outras produções internacionais com co-produção portuguesa.

Foi selecionado o Selvajaria, filme de Miguel Gomes, com a produtora portuguesa O Som e a Fúria, numa co-produção com França, Brasil, China e Grécia, interrompida por causa das medidas de confinamento.

O filme é uma adaptação livre da obra literária brasileira Os Sertões (campanha de Canudos), de Euclides da Cunha, «dando conta da obscura guerra que teve lugar na Bahia no ano de 1897», refere a produtora. O livro de Euclides da Cunha (1866-1909) é considerado o primeiro livro-reportagem brasileiro e uma epopeia da vida sertaneja.

Com argumento de Mariana Ricardo, Maureen Fazendeiro, Miguel Gomes e Telmo Churro, Selvajaria sucede ao tríptico do realizador As mil e uma noites (2015).

Ainda de entre os projectos internacionais foram seleccionados Eureka, de Lisandro Alonso, e When the waves are gone, do realizador filipino Lav Diaz, ambos com co-produção portuguesa pela Rosa Filmes.

Segundo o festival de Locarno, o realizador argentino Lisandro Alonso teve de parar a rodagem de Eureka em Portugal, por causa da epidemia, e contava com técnicos e elenco de vários países da Europa. O filme é uma viagem no tempo e no espaço, entre 1870 e 2019, em busca da cultura ameríndia.

O realizador Lav Diaz, vencedor de um Leopardo de Ouro em 2014, viu o seu filme When the waves are gone, uma história de vingança que reinterpreta a história do Conde Monte Cristo, ser interrompido por uma erupção vulcânica, primeiro, e pela Covid-19, depois.

De entre os dez filmes suiços seleccionados, Far West, de Pierre-François Sauter, com co-produção portuguesa da Terratreme, também foi afectada pela Covid-19 na fase em que o realizador iria embarcar na rodagem em Cabo Verde, filmando a vida de dois amigos de infância que conheceu em Santo Antão.

De acordo com o festival, foram acolhidos 545 projectos cinematográficos de 101 países, tendo sido seleccionados 20. O programa «The Films After Tomorrow» decorrerá de 5 a 15 de Agosto, com o público a ter acesso online à apresentação dos projectos seleccionados.


Com agência Lusa

Tópico