|cinema

Moita acolhe ciclo de cinema sobre a resistência na II Guerra Mundial

O ciclo «A Resistência Durante a Segunda Guerra Mundial» arranca este sábado no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, e conta com a participação de resistentes antifascistas. 

<em>Vem e Vê, </em>de Elem Klimov
Vem e Vê, de Elem KlimovCréditos / Doha Film Institute

Dirigida a maiores de 12 anos, a iniciativa é organizada pelo Núcleo do Concelho da Moita da União de Resistentes Antifascistas Portugueses, Câmara Municipal da Moita e União de Freguesias de Baixa da Banheira e Vale da Amoreira. 

«A Resistência Durante a Segunda Guerra Mundial» arranca este sábado com o filme Vem e Vê, de Elem Klimov. Considerado «um dos mais impressionantes» filmes de guerra, tem como pano de fundo a Bielorússia, perto da fronteira polaca, em 1943, onde um rapaz retira uma espingarda das mãos de um cadáver, para logo depois ser levado pela Resistência para engrossar as fileiras dos guerrilheiros, após os nazis terem arrasado inteiramente a sua aldeia e massacrado todos os habitantes. 

No início de cada sessão, pelas 21h, haverá a intervenção de resistentes antifascistas que vão partilhar os seus testemunhos com o público. Amanhã é a vez de José Pedro Soares, ex-preso político e membro da direcção nacional da URAP. 

Segue-se Domingos Abrantes, conselheiro de Estado e ex-preso político, no dia 22 de Setembro, data em que será exibido o documentário Quem escreverá a nossa história, da autoria de Roberta Grossman, que adapta ao grande ecrã a obra com o mesmo nome do historiador Samuel Kassow. 

Debaixo do Céu é o trabalho de Nicholas Oulman sobre os refugiados que passaram por Portugal fugidos do nazismo, a exibir no dia 29. O resistente antifascista Armando S. Teixeira é o convidado a partilhar a sua experiência com o público antes da sessão. 

O ciclo de cinema termina a 6 de Outubro com a presença do jornalista José Goulão, cuja intervenção precederá a exibição do filme O Espírito de 45, de Ken Loach.

Tópico