|Educação

Trabalhadores não docentes concentram-se no Ministério a 7 de Dezembro

Está convocado um «plenário/concentração» de dirigentes e delegados sindicais do sector da Educação para exigir ao Governo a tomada de medidas políticas para resolver os problemas que afectam os direitos dos trabalhadores não docentes e «põem em causa a prestação de um serviço público de qualidade».

Trabalhadores durante a manifestação nacional dos trabalhadores não docentes, junto do Ministério da Educação, Lisboa, 21 de Abril de 2017
Trabalhadores durante a manifestação nacional dos trabalhadores não docentes, junto do Ministério da Educação, Lisboa, 21 de Abril de 2017CréditosAntónio Cotrim / Agência LUSA

Uma nota da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS/CGTP-IN) anuncia a convocação de um «plenário/concentração nacional», para o dia 7 de Dezembro, às 14h30, frente ao Ministério da Educação.

A estrutura sindical explica que o ministro da Educação não cumprirá o que afirmou no início deste ano lectivo – que no contexto da nova portaria de rácios «iriam ser contratados 1500 novos assistentes operacionais este ano e 500 em 2018, número que a federação considerou desde logo insuficiente».

No início de Novembro, o ministro informou que, em 2017, apenas seriam abertos concursos para 500 novos assistentes operacionais. Acresce que, segundo a federação sindical, «este Governo optou por continuar a usar e abusar da contratação precária para manter as escolas a funcionar em serviços mínimos», dando o exemplo dos 1600 contratos a tempo parcial celebrados este ano lectivo.

A FNSTFPS também exige resposta às matérias que constam no caderno reivindicativo, como «a valorização funcional e salarial dos trabalhadores não docentes». Para além de servir para «denunciar a falta de vontade política deste Governo», o plenário também servirá para «decidir formas de luta» e exigir medidas políticas que dêem resposta aos problemas destes trabalhadores.

Tópico