|precariedade

Trabalhadores denunciam precariedade no Alegro Alfragide

Várias empresas no Centro Comercial Alegro, em Alfragide, aproveitaram a situação de pandemia e usufruíram de apoios no regime de lay-off. Agora avançam com despedimentos, alguns deles encapotados. 

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços (CESP/CGTP-IN) realizou, esta manhã, uma acção conjunta com outros sindicatos, através da qual pretendem denunciar o aproveitamento de várias das empresas situadas no centro comercial Alegro de Alfragide em relação à Covid-19 e aos direitos dos trabalhadores.

Essas empresas, que usufruíram de apoios governamentais com o regime de lay-off, avançam  agora com despedimentos, alguns deles «encapotados», afirma o CESP em comunicado.

«Foram muitos os trabalhadores a contrato a ser descartados», obrigados a tirar férias, com as empresas a quererem utilizar um «banco de horas negativo», refere a nota.

O CESP afirma ainda que a acção pretende defender a garantia de «emprego com direitos e salários dignos» para quem trabalha e produz «o lucro destas empresas».

Tópico