|Hotelaria e Restauração

Trabalhadores das cantinas escolares de Santo Tirso em greve no dia 18

Os trabalhadores das cantinas escolares de Santo Tirso ao serviço da empresa Uniself vão estar em greve na próxima quinta-feira, dia 18 de Julho, por melhores condições de trabalho.

Trabalhadores da Uniself nas cantinas escolares de Santo Tirso em luta. Foto de arquivo.
Trabalhadores da Uniself nas cantinas escolares de Santo Tirso em luta. Foto de arquivo.Créditos / Sindicato de Hotelaria do Norte,

Os trabalhadores das cantinas escolares concessionadas à Uniself no município de Santo Tirso estão em luta por melhores condições de trabalho e vão realizar uma greve de 24 horas na próxima quinta-feira, dia 18 de Julho, segundo informação recebida do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte/CGTP-IN (Sindicato de Hotelaria do Norte).

Os trabalhadores queixam-se de «falta de pessoal nas cantinas», com particular incidência para as «preparadoras de cozinha», sobretudo «nas cantinas que confeccionam mais de 70 refeições». A consequência, para as cozinheiras, é o serem obrigadas a uma «polivalência desvalorizadora», tendo de «fazer tudo no refeitório, limpeza, lavagem de louças, preparação e confecção de refeições».

Queixam-se também de a falta de pessoal estar na origem de elevadas cargas horárias e «ritmos de trabalho intensos». Para contrariar tal facto, os trabalhadores exigem a « contratação das cozinheiras a tempo completo» e a « redução da carga horária».

Do ponto de vista do vínculo laboral os trabalhadores pronunciam-se «contra a contratação de trabalhadores pelas empresas de trabalho temporário» e preconizam a «passagem a efectivos de todos os trabalhadores, pelo menos das cantinas que estão abertas de Setembro de um ano a Julho do ano seguinte», bem como a contratação de trabalhadores «para todo o ano lectivo» contratualizado com o município e não por períodos mais curtos.

A luta trava-se também «por melhores salários», segundo o Sindicato de Hotelaria do Norte. Em 2017, na sequência de um processo negocial com a empresa e na sequência de uma reunião realizada na Câmara Municipal, o salário das cozinheiras de 2.ª categoria foi estabelecido em 629€, valor que os trabalhadores pretendem ver aumentado.

Por todas as razões aduzidas e também porque a empresa não está a cumprir o caderno de encargos municipal que a obriga, nomeadamente «o número de trabalhadores em cada escola e a carga horária diária», os trabalhadores em greve irão concentrar-se ao início da manhã, pelas 9h, à porta da Câmara Municipal de Santo Tirso, para exigir que a Câmara Municipal obrigue a Uniself a cumprir o caderno de encargos e os direitos dos trabalhadores.

Tópico