|mobilidade e transportes

Trabalhadores da TST em luta pelo aumento dos salários

Perante o adiamento das negociações de aumentos salariais por parte da administração, os trabalhadores da TST estarão em greve no 6 de Fevereiro, para realizar um plenário e decidir formas de luta.

Manifestação dos trabalhadores dos TST em Almada, 20 de Maio de 2019
Manifestação dos trabalhadores dos TST em Almada, 20 de Maio de 2019Créditos / União de Sindicatos de Setúbal

A Federação de Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN), em conjunto com outras organizações sindicais, convocou um plenário geral de trabalhadores para dia 6 de Fevereiro, às 10h, nas instalações da empresa.

O plenário insere-se numa paralisação de 24 horas «pelo aumento do salário» que as organizações sindicais agendaram para o período entre as 3h de dia 6 de Fevereiro e às 3h do dia seguinte.

A paralisação ocorre depois de a administração da Transportes Sul do Tejo (TST) «não ter dado resposta à valorização (aumento) dos salários no passado dia 15 de Dezembro, fugindo desta forma ao compromisso que havia dado aos trabalhadores», pode ler-se em nota.

Se a administração da TST não quer a empresa parada, «basta cumprir com o discurso público que efectuou quando disse: "é necessário elevar os salários dos trabalhadores da TST ao nível daquilo que é praticado na Carris"», frisam as estruturas sindicais.

Tópico