Trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense lutam por melhores salários

Os trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense estão a realizar uma greve de 48 horas, por uma actualização de salários que contemple todos os trabalhadores.

Representantes dos trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense em conferência de imprensa
Representantes dos trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense em conferência de imprensaCréditos / SITE CSRA

Na sequência do plenário realizado no dia 2 de Dezembro de 2016, os trabalhadores da Gráfica Funchalense, localizada em Pêro Pinheiro, decidiram continuar a luta para que as actualizações salariais contemplem todos os trabalhadores, marcando uma greve de 48 horas, que teve início às 8 horas de ontem e termina às 8 horas de amanhã.

Tendo em conta a ausência de diálogo com a actual administração da empresa, foi ainda decidido solicitar reuniões aos accionistas, nomeadamente às administrações da Global Notícias - Media Group e à Sociedade Vicra Desportiva, no sentido de se discutirem as questões dos trabalhadores e encontrar soluções para os seus problemas.

Em comunicado aos trabalhadores da empresa, a comissão sindical, do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Centro Sul e Regiões Autónomas (SITE CSRA), informa que as actualizações salariais não aconteciam há 10 anos, tendo a empresa actualizado em Dezembro os salários abaixo de 875 euros, «sem qualquer critério ou explicação, e que em várias situações apenas se antecipou à actualização do salário mínimo nacional a aplicar neste ano, continuando a ignorar os representantes dos trabalhadores».

Hoje, a comissão sindical e os trabalhadores, também com a presença do secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, estiveram concentrados junto à Sociedade Vicra Desportiva, em Lisboa. Ontem, deslocaram-se à Global Notícias.