|transportes

Trabalhadores da Carris aprovam acordo salarial para 2019

Os trabalhadores da Carris aprovaram a proposta salarial da administração, que prevê aumentos de 20 euros para todos, inclusive na Carris Bus, e mexidas em várias cláusulas pecuniárias.

A CarrisBus tem como principal actividade a manutenção e reparação de veículos pesados de passageiros, bem como de carros eléctricos
Trabalhadores da Carris estavam sem aumentos salariais desde 2009Créditos / CGTP-IN

Em comunicado, a Federação de Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN) afirma que o acordo foi assinado na segunda-feira, após os trabalhadores terem mandatado a estrutura sindical para proceder à assinatura.

Segundo a Fectrans, o acordo salarial para 2019 «consagra um aumento de 20 euros na tabela salarial para todos os trabalhadores», com efeitos retroactivos a Janeiro. O mesmo aplica-se também àqueles em «contrato de cedência na Carris Bus».

Além disso, o acordo clarifica os dias úteis de férias para os trabalhadores com folgas rotativas, afirmando que, «sempre que existam dias feriados no período de férias concedidas, a empresa considera, tacitamente, esses dias como feriado a pedido do trabalhador».

O documento prevê ainda mexidas nas diuturnidades (hoje pagas de quatro em quatro anos). Os trabalhadores até 15 anos de empresa passam a receber nove euros de anuidade, enquanto aqueles entre os 16 a 31 anos passam a receber de três em três anos. A partir de 2020, passam a bianuidades e, em 2021, a anuidades.

«Após conclusão do processo de revisão do acordo de empresa nas matérias de natureza não pecuniária, este protocolo integrará o texto final, que resultar em acordo e será enviado para publicação, pelo que esperamos que cheguem ao fim as discriminações que se fizeram sentir nos últimos meses», lê-se também

A Fectrans salienta ainda que continuará a lutar, na revisão do acordo de empresa, para que sejam «encontradas soluções que permitam salvaguardar os interesses dos trabalhadores, nomeadamente o desbloqueio da evolução profissional».

Tópico