|greve

Trabalhadores da cantina de escola de Santo Tirso exigem mais pessoal

Os trabalhadores da cantina da Escola EB1 da Ermida, em Santo Tirso, vão fazer greve, esta quarta-feira, contra a falta de pessoal e de condições de trabalho, reivindicando melhores salários.

Faltam trabalhadores nos refeitórios das escolas do município de Sintra
Faltam trabalhadores nos refeitórios das escolas do município de SintraCréditosTiago Petinga / Agência LUSA

O Sindicato da Hotelaria do Norte (SHN/CGTP-IN) denuncia num comunicado que a Uniself, empresa concessionária do serviço de refeições das escolas do Município de Santo Tirso, «não cumpre o caderno de encargos no que toca ao número de trabalhadores em cada cantina escolar».

Afirma que a empresa impõe ritmos de trabalho «que põem em causa a saúde dos trabalhadores e a qualidade do serviço que é prestado nas cantinas», e critica a passividade da autarquia. Neste sentido, revela que, numa reunião realizada na Câmara Municipal de Santo Tirso, com a presença da empresa e do sindicato, a autarquia se «comprometeu a dar maior atenção a esta situação de falta de pessoal» e «apurar melhor as dificuldades dos trabalhadores», mas «não cumpriu».

«A Câmara Municipal não fiscaliza o cumprimento do caderno de encargos, como é seu dever, não obriga a empresa a admitir mais pessoal, deixa que as refeições sejam servidas aos alunos mais tarde, e a correr, sem garantias de qualidade e segurança alimentar», lê-se na nota.

Por outro lado, o SHN sublinha que os salários auferidos por estes trabalhadores são «muito baixos» e que a Uniself «tem todos os trabalhadores a tempo parcial, inclusive a cozinheira, para pagar menos».

O sindicato, que amanhã realiza uma conferência de imprensa, pelas 8h, à porta da escola, reitera que, apesar de os trabalhadores das escolas de Santo Tirso já terem realizado outras lutas e concentrações de protesto junto à Câmara Municipal, a situação se mantém em muitas escolas.

Tópico