|carreiras profissionais

Técnicos de diagnóstico e terapêutica em greve exigem justiça

 Os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica estão em greve esta quinta-feira, contra o diploma unilateral do Governo que coloca mais de 90% dos técnicos na base da carreira e apaga os anos de serviço.

Técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica durante um protesto em frente ao Hospital de Santa Maria
Técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica durante um protesto em frente ao Hospital de Santa MariaCréditosRITA QUEIROZ / LUSA

Para além da greve de 24 horas, convocada pelo Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (STSS), os profissionais da Saúde vão concentrar-se às 14h em frente à Presidência da República, de onde seguirão em protesto até à Assembleia da República.

Em causa está o diploma da carreira, aprovado de forma unilateral pelo Governo à revelia do processo negocial, que vai colocar a esmagadora maioria dos técnicos na base da carreira, independentemente dos anos de serviço, com um rendimento abaixo de outras carreiras na Função Pública com qualificações semelhantes.

O STSS afirma que «97% dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica vão para a base da carreira, independentemente de terem começado a trabalhar no dia 1 de Janeiro ou terem uma carreira de 20 anos, e 75% dos profissionais vêem o seu passado de trabalho e dedicação ao Serviço Nacional de Saúde apagado».

Além disso, o sindicato reitera que o diploma vai «perpetuar a discriminação», com a aplicação de regras de transição para a nova carreira que não colocam os técnicos em todas as categorias, e de uma grelha salarial que não permite um desenvolvimento salarial igual ao de outras carreiras.

Os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica (TSDT) englobam mais de 18 profissões da Saúde, como analistas clínicos, técnicos de radiologia ou fisioterapia.

Com agência Lusa

Tópico