|sector metalúrgico

Refeitório e contratação colectiva levam a protesto na Metalorigor

Os trabalhadores entregaram à direcção da empresa um abaixo-assinado em que se exige uma maior qualidade na cantina e a aplicação da contratação colectiva do sector.

Segundo resultados apurados no primeiro quadrimestre de 2016, as empresas do sector facturaram mais de 4800 milhões de euros
Créditos

Segundo nota divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (SITE Sul/CGTP-IN), mais de 75% dos trabalhadores da empresa metalúrgica Metalorigor Construções Metálicas, em Évora, subscreveram um abaixo-assinado para exigir mais qualidade nas refeições do refeitório e aplicação da contratação colectiva pela empresa.

A Metalorigor não paga subsídio de refeição aos seus trabalhadores e disponibiliza-lhes a refeição em géneros, mas, denuncia o sindicato, este serviço é assegurado por uma empresa prestadora de serviços «em condições de muito pouca qualidade», sendo cada vez maior o número de trabalhadores a levar comida de casa.

Na nota, a estrutura sindical refere que os trabalhadores exigem também a aplicação da contratação colectiva subscrita pela Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas e Eléctricas (Fiequimetal/CGTP-IN), nomeadamente quanto à classificação dos trabalhadores nas categorias profissionais correctas e valorizando a antiguidade.

«O facto de a contratação não ser cumprida faz com que, nesta empresa, a maioria dos trabalhadores receba o salário mínimo nacional», pode ler-se no comunicado.

Tópico