A empresa não reúne com o sindicato desde 2007

Pingo Doce: trabalhadores em luta exigem ser ouvidos

Trabalhadores do Pingo Doce estiveram hoje em luta pela falta de resposta da empresa ao caderno reivindicativo apresentado pelo sindicato.

A administração do Pingo Doce não reúne com o CESP desde 2007
A administração do Pingo Doce não reúne com o CESP desde 2007Créditos

Trabalhadores da cadeia de supermercados Pingo Doce concentraram-se hoje junto a uma das lojas, no Reital Park de Alverca, para exigir uma resposta da administração às suas reivindicações por melhores condições de trabalho.

A acção de protesto foi convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP). Isabel Delgado, do CESP, explicou que a manifestação se deve «à falta de resposta» por parte da administração do Pingo Doce, pertencente ao grupo Jerónimo Martins, ao caderno reivindicativo apresentado pelo sindicato.

«O fim do banco de horas», «o fim das transferências abusivas do local de trabalho» e a «passagem a efectivos dos trabalhadores com vínculos precários» são algumas das exigências do caderno reivindicativo.

«Já solicitamos ao Ministério do Trabalho que convocasse a empresa para uma reunião. Mesmo assim, a empresa optou por não comparecer às convocatórias que foram feitas, preferindo pagar as respectivas coimas. Isso mostra a falta de respeito do Pingo Doce», acusou a dirigente sindical.

A sindicalista afirmou que os trabalhadores irão continuar a realizar acções de protesto «enquanto não houver uma resposta da empresa» e exigiu uma «actuação mais forte» do Ministério do Trabalho. Segundo afirmou ao AbrilAbril, a empresa não reúne com o sindicato desde 2007.