|salários em atraso

Mobilização garantiu pagamento de salário em atraso

Ao dia 15 deste mês, os trabalhadores da Berrelhas ainda não tinham recebido o salário de Janeiro. Na sequência da marcação de um plenário pelo sindicado, a administração pagou.

Plenário de trabalhadores da Berrelhas em frente à central de camionagem de Viseu a 17 de Fevereiro de 2021
Plenário de trabalhadores da Berrelhas em frente à central de camionagem de Viseu a 17 de Fevereiro de 2021 CréditosIgor Ferreira / jornaldocentro.pt

A empresa que explora o transporte urbano em Viseu, a Berrelhas, não tem cumprido «o pagamento pontual dos salários», denuncia em comunicado a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN).

Confrontados com o facto de, a 15 de Fevereiro, ainda não terem recebido o salário do mês anterior, os trabalhadores decidiram agendar, com o Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal (STRUP, afiliado na Fectrans), um plenário para esta quarta-feira, em frente à Central de Camionagem de Viseu para discutir formas de luta.

No comunicado pode ler-se que esta situação agrava «as dificuldades financeiras e sociais dos trabalhadores» que, no contexto da pandemia, já tinham piorado.

Para além da realização do plenário, o STRUP deu conhecimento da situação à Autoridade para as Condições de Trabalho, solicitando uma intervenção urgente.

Em consequência da mobilização dos trabalhadores e da intervenção sindical, a administração da empresa Berrelhas comunicou aos trabalhadores a intenção de pagar os salários ainda durante o dia de ontem.

O sindicato sublinha que «valeu a pena lutar» e anuncia que os trabalhadores mandataram o STRUP para, no início de cada mês, desenvolverem outras formas de luta, caso a situação se repita.

Tópico